quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Sobre as desilusões e a morte de golfinhos no Rio Ancão




Este título surgiu-me na cabeça quando andava nas lides domésticas, mas com um twist: "Sobre as desilusões e a morte de golfinhos no Pacífico".
Surgiu como metáfora, irónica, do que se passou e passa na minha vida, e naquele momento em particular. Sobre como não ter desilusões e existirem golfinhos no Pacífico é tão improvável como conseguir comer um gelado dentro de um vulcão. Mas afinal não é. Apesar de ser um bocado tonta, não sou totalmente estúpida, e tem vezes que gosto (ou prefiro ou acho mais seguro para não fazer más figuras) estudar as matérias antes de escrever sobre elas.
Pois bem, descobri que o título não podia conter "golfinhos no Pacífico" se me queria referir a uma impossibilidade porque, para grande espanto meu, existem golfinhos no Pacífico. Pronto, vá, não fiquei espantada, mas o "Pacífico" soava melhor no título e eu sabia que não podia ser e lá tive de ir procurar no globo um local com água onde não existissem golfinhos. Comecei pelos oceanos e não tive sucesso: existem golfinhos em todos os oceanos do planeta. Tive de passar para os mares. Nos mares também não me safei (ainda que a pesquisa não fosse exaustiva) e, bem sei, estarão a pensar no Mar Morto mas, a palavra "morto" não caía bem num título onde já consta a palavra "morte". Preciosismos, talvez. Falta de rigor, mais provavelmente, porque primeiro deviam estar os factos. Mas o blog é meu e eu faço o que quiser. E o cérebro também é meu e eu meto-o nos labirintos que me apetecer. Apeteceu-me prescindir do Mar Morto em favor de um título mais escorreito. Depois virei-me para os lagos, poças, riachos e lá cheguei aos rios. Só uma pequena nota: extinção dos golfinhos? Nunca vi tantos num momento em que precisava imenso não os encontrar em algum lugar.
E pronto, voltamos ao que interessa - a mim, pelo menos - que era a questão da metáfora entre as desilusões serem uma inevitabilidade na mesma medida em que é impossível existirem golfinhos onde? No Rio Ancão. Confesso que não fui confirmar esta informação de não existirem golfinhos no Rio Ancão. Estou a lançar-me sem rede, à maluca, completamente crente que desta vez acertei. Pensei no Rio Ganges mas, os Deuses sabem melhor que eu e talvez me tenham sussurrado ao ouvido que, naquele Ganges há muita vida para além da morte e, existirem golfinhos, talvez não seja assim tão impossível.
Ah, a parte da metáfora, que me está sempre a escorregar:
"Não há golfinhos no Rio Ancão como não há vida sem desilusões".
É só isto.
Não, não era mais que isto.

Pronto, já levaram uma seca sobre golfinhos, hein?!
Que legal!
Vamos então ficar por aqui.


[E este post também se podia chamar "Pensa lá numa coisa que não interesse a ninguém mas onde percas muito tempo".]


Mas para mim, isto nunca foi sobre golfinhos.


Sem comentários:

Enviar um comentário